29 de abr de 2011

Refluxo,o meu monstro!

Quando a Lara nasceu, eu me preocupava muito com o famoso "golfo" dela, ela demorava muito pra arrotar e eu ficava por longas horas ali, batendo na costinha e desenvolvendo altas técnicas pra que ela pudesse arrotar , pq eu tinha muito medo de colocá-la pra dormir e ela se engasgar com o "golfo"! Larinha foi crescendo e nessa medida os arrotos vinham acompanhados de "golfadas", umas vezes fraquinhas, outras que nem jato! Minha cabeça ficava a mil e eu cansei de ligar pro Dr. dela desesperada!
Mas aí sempre ele dizia que era normal, passou uns remédios que dizendo ele não era pra diminuir ou evitar a regurgitação e sim para amenizar a queimação que dar depois delas, eu me preocupei muito com isso e até hoje me preocupo, mas a média da Larinha engordar por mês é de 500 g, e isso é um sinal que esse refluxo chato dizendo o Dr. é "olho grande", eu não concordo, pq tem vezes que ela mama bem pouco e já dorme e quando acordar, volta tudo!!
Enfim andei lendo a revista crescer e achei uma reportagem interessante, decidi compartilhar aqui, pra vocês que assim como eu tem esse monstro chato que nos tira do sério!


Refluxo: como identificar e cuidar do bebê

Muitas vezes é só uma regurgitação normal. Veja as situações mais comuns e as mais delicadas
Você acha que seu filho tem refluxo? Tenha calma. Não é qualquer volta de leite que o bebê apresenta que pode indicar que ele tem o problema. "Os adultos confundem a regurgitação comum, que ocorre com cerca de 50% dos bebês e não interfere em seu desenvolvimento, com o refluxo gastroesofágico, que merece atenção médica e, algumas vezes, remédios”, alerta o pediatra Mauro Batista de Morais. E até mesmo alguns médicos vêm fazendo confusão. 
A questão é que os pais, ansiosos por natureza, ficam muito preocupados em ver o bebê devolvendo o alimento pela boca. Pensam que ele está doente e sofrendo. Se não encontram pela frente alguém para acalmá-los, tomam atitudes desnecessárias, como medicar o filho com o remédio que a vizinha usa ou trocar o peito pela mamadeira com leite engrossado. “O leite materno é mais leve, por isso mais fácil de voltar. Mesmo assim, é melhor o bebê regurgitar do que perder as vantagens da amamentação”, aconselha Mauro. 
O que é comum 
regurgitação ocorre porque a válvula entre o esôfago e o estômago, conhecida como esfíncter esofagiano, ainda está se desenvolvendo. Normalmente, após a passagem do leite, ele fecha e segura o líquido. Com a imaturidade, o esfíncter relaxa e não faz seu trabalho. Por isso, o retorno de um pouco de leite após a mamada, quando o bebê arrota, ou mesmo um tempo depois em forma de “queijinho” é normal. Trata-se de um tipo de refluxo fisiológico, ou apenas regurgitação, que acontece em algumas ou todas as mamadas. Ela também ocorre porque nem sempre é possível notar que o bebê mamou em excesso e lotou o estômago. Nesse caso, até um arroto mais intenso traz o líquido de volta. Regurgitar não tem nenhuma conseqüência para o bebê e não causa desconforto. Não há remédio que faça o esfíncter amadurecer mais rápido. “O amadurecimento acontece entre os 6 meses e 1 ano. Enquanto isso, é preciso paciência e fraldas extras”, diz o pediatra Glaucio Granja de Abreu.
Algumas condutas podem ser adotadas para diminuir a regurgitação e principalmente acalmar a ansiedade dos pais, que se impressionam com as voltas do leite. Uma delas é respeitar sempre o tempo de cerca de dez minutos para o bebê arrotar, mantendo-o no colo. Outra, na hora de colocar a criança no berço ou no carrinho, é deixá-la um pouco elevada e não totalmente na horizontal, posição que facilita a volta do leite. Se a criança não mama no peito, o leite engrossado com mingaus também diminui a regurgitação, mas essa medida deve ser orientada pelo pediatra
é só clicar aqui , para ler a matéria completa!
Por aqui está tudo bem, correria total pq a semana de prova está batendo na porta!
Beijos meus e dessa gostosona aí de baixo ;**


6 comentários:

  1. Nina desde q nasceu golfava muito, mamava bem e engordava, entao a pediatra dizia mesmo q fosse refluxo ela nao ta sofrendo e estava engordando.
    Fomos nessa ate o 5 meses qdo ela começou a chorar na madruga.
    Pediatra concluiu q o refluxo estava incomodando,azia com certeza.
    Ergemos o berço com livros nos pes da cabeceira, iniciamos medicaçao.
    Por um mes nao vi resultado, dei homeopatia q ate deu uma melhorada.
    O q adiantou mesmo foi ela aprender a sentar e começar com as papas salgadas.
    O q pega é ficar 40 min em pe fazendo arrotar.
    Mas dicana bata nas costas, pegue pelo bumbum e nao aperte a barriga.
    Bjs bjs

    ResponderExcluir
  2. qdo eles aprendem a sentar é pq a valvula da garganta ja ta desenvolvida, nao sei explicar certinho, mas é mais ou menos isso.

    ResponderExcluir
  3. O Gu nunca me deu estes sustos, quase não golfa! Agora menina, que carinha é esta??? A Larinha já tá dando uma de modelo, fazendo pose! rs

    ResponderExcluir
  4. Essa Larinha é tão fofaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.. Linda linda linda... =]

    Grande beijoooooooooo

    ResponderExcluir
  5. Não sei nada de refluxo, a Alice não teve,
    adorei a foto da Lara, linda essa roupinha, super fashion, está uma lindeza.
    bjs

    ResponderExcluir